9 Ideias De Som Da Banda

Dicas para fotografia de masterclass As melhores musica para escrever seus essays

As ideias de Obessmyslivany da vida, resultando da escravização cheia da pessoa "carne", serviços, segundo L. N. Tolstoy, o obstáculo mais importante em um caminho da compreensão do sentido da vida por ele enquanto o lançamento de baixo do seu poder o se devolve quanto a um espiritual e moral, ser-humano-Homo de morais novamente. Esta abertura da pessoa em si mesmo a infinidade da essência que se torna a única verdadeira base da infinidade da existência e é como o escritor reclamou, aquela significação mais alta da vida que pode ficar disponível para cada pessoa.

Por isso, é importante construir assim processo pedagógico que o professor dirigiu a atividade da criança, organizando o seu autodidatismo ativo pela comissão de ações independentes e responsáveis. O professor-professor pode e ser obrigado a ajudar o crescimento à pessoa a passar isto - sempre único e independente - um caminho do desenvolvimento social e moral. A educação representa não a adaptação de crianças, adolescentes, os jovens a formas de caixa da vida social, não ajuste abaixo de certo padrão. Em consequência de nomeação de formas socialmente desenvolvidas e caminhos da atividade lá é um desenvolvimento adicional - a formação da orientação de crianças a certos valores, independência na solução de problemas morais complexos. "Uma condição de eficiência de educação - uma escolha independente ou adoção consciente por crianças dos conteúdos e os objetivos de atividade".

O sistema de educação historicamente criado fornece a nomeação por crianças de certo círculo das capacidades, padrões éticos e antepassados espirituais que se conformam com exigências da sociedade concreta, mas gradualmente significa e os caminhos da organização ficam improdutivos.

Conjugando esforços com o grande escritor na compreensão dos objetivos da educação entre a qual principal considerou a formação da exigência de trazer o benefício ao outro, contudo, é possível desacordar dele no juízo sobre caminhos possíveis da realização deste objetivo. L. N. Tolstoy, como sabemos, destinou o papel principal à educação moral, compartilhando nele visões de educadores de XVIIIV. Esta situação sofreu a reconsideração crítica posterior quando a fenda entre verdadeiro comportamento do indivíduo e o conhecimento de padrões éticos e imperativos da ação encontrada por ele se tornou o fato óbvio para filósofos e professores.

Neste sentido, os cientistas domésticos e os professores de peritos reconhecem que a educação (inclusive o treinamento não pode seguir depois "desenvolvimento de crianças", guiando-se pelo seu ontem, e tem de corresponder "amanhã do desenvolvimento de crianças". O princípio da aproximação do desenvolvimento mental da personalidade quanto ao processo feito funcionar que é capaz para criar novas estruturas de valores pessoais das pessoas crescentes reflete-se exatamente nesta tese.

A essência da relação originalmente humanística à educação da criança exprime-se na tese da sua atividade como sujeito cheio, mas não objeto do processo da educação. A própria atividade da criança é uma condição necessária do processo educativo, mas esta atividade, as formas da sua manifestação e, a coisa principal, o nível de implementação que define a sua produtividade tem de criar-se, criar-se na criança com base em amostras historicamente desenvolvidas, contudo não a sua reprodução cega, mas uso criativo.

Rejeitando a ideia da existência da pessoa exclusivamente como o ser biológico que se subordina inteiramente à ditadura de instintos, o escritor completamente não negou o poder "da natureza" sobre a pessoa, e também não pôs todas as esperanças pela melhora da vida humana na atividade da sua razão. Ao contrário, o escritor acentuou repetidamente que a racionalização excessiva da vida da pessoa não o aproximará à compreensão da significação da vida em absoluto. Só a capacidade da personalidade à torre sobre a natureza e inclinando-se nele como em uma condição necessária da existência, para aprovar as bases razoáveis, realmente humanas da vida, na crença de L. N. Tolstoy, há único critério da inteligência da sua vida.